Tudo sobre a Celulite

O padrão de beleza exige que as mulheres sejam magras, altas, que tenham a pele firme e uniforme, sem celulite, mas a maioria das mulheres sofre com a imposição deste padrão. A verdade é que cada mulher tem sua beleza individual e não deve sofrer por não ter o corpo editado de capa de revista.

As celulites podem incomodar muito a autoestima de uma mulher, mas a motivação para preveni-las e tratá-las deve partir de dentro da própria pessoa e não devido a uma imposição social.

É natural que apareçam celulites na pele, pois é um fenômeno orgânico bastante comum. No entanto, seu aspecto incomoda em termos visuais, por isso este artigo explica tudo acerca de celulite e como tratá-la.

O que é celulite?

O nome técnico da celulite é Lipodistrofia Ginóide, uma condição dermatológica cuja principal característica é o aspecto ondulado na pele, que afeta principalmente às mulheres, sendo muito raro em homens. Cerca de 98% das mulheres apresentam celulite após a fase da puberdade, é mais comum em mulheres porque elas possuem uma fisiologia mais flácida e com mais camada de gordura do que os homens.

Não se considera a celulite como uma doença, apenas uma condição que tem seu aparecimento relacionado à taxa de estrogênio e gordura. Pode-se classificar a celulite em diferentes graus, para avaliar se uma celulite é leve, moderada ou grave, são utilizados os seguintes critérios:

  • Número de depressões;
  • Profundidade das depressões;
  • Elevações da celulite;
  • Flacidez;
  • Dor;
  • Aspecto do nódulo endurecido.

Causas

O processo que ocorre no organismo para que apareçam as celulites está relacionado às células de gordura, isto é, os lipócitos, estes apresentam cavidades onde é depositado o excesso de gordura, que ocupa grande parte desta célula, mas o aspecto de depressão, isto é, os furinhos, derivam das fibras presentes nos lipócitos, estas fibras ligam o tecido adiposo à derme, causando um efeito de puxar a pele para baixo.

São diversos os fatores que contribuem com o desenvolvimento da celulite, entre eles está o fator hereditário, que inclui o sexo, o biótipo de corpo, a dinâmica da distribuição de gordura, o tio de metabolismo, histórico familiar; há ainda o fator comportamental que se refere aos hábitos que a pessoa mantém, como a alimentação, a ingestão de água, sedentarismo e por fim, os fatores hormonais, que incluem a gravidez, uso de medicamentos e desequilíbrio das taxas hormonais devido à alguma doença endócrina.

A má alimentação contribui como aparecimento de celulite no sentido da ingestão de alimentos gordurosos e com baixo valor nutritivo. Não significa que apenas mulheres obesas possam desenvolver celulite, pois é comum que mulheres aparentemente magras tenham maior proporção de tecido adiposo do que musculatura.

Beber muita água é importante para diversas funções do organismo, inclusive para prevenir a celulite, pois a água é capaz de melhorar o funcionamento renal e linfático, de forma que ajuda a eliminar toxinas.

O sedentarismo, por sua vez, contribui com o desenvolvimento da celulite, pois deixar de fazer exercícios físicos pode ajudar com o acumulo de gordura, além disso fazer alguma atividade física melhora a circulação e aumenta a massa muscular, que evita a inflamação das células adiposas.

Os fatores hormonais, finalmente, influenciam na inflamação da célula de gordura porque os hormônios femininos são capazes de direcionar mais gordura a ser acumulada. Durante a gravidez, este acúmulo de gordura ocorre como um mecanismo de proteção térmica e de impacto.

Sintomas

As áreas mais afetadas pela celulite são aquelas que mais possuem acúmulo de gordura, a saber: as coxas, as nádegas e os braços, mas podem ser encontradas nos seios e no abdômen.

São as pequenas depressões na pele que caracteriza a celulite, o aspecto de furos é muitas vezes descrito como “casca de laranja”, que, muitas vezes só pode ser visualizada quando a pele é comprimida, isto é quando a inflamação não esta ainda muito profunda.

Já nos casos em que o grau de profundidade está maior, já é possível perceber a ondulação e pode haver casos de grau ainda mais profundo, em que as depressões são maiores, dolorosas, endurecidas, sensíveis e com temperatura mais fria.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *